Frio na barriga e primeiras vezes

Cá estou eu com mais um dos meus textos que saíram na madrugrada. Ontem, quase duas da manhã, resolvi começar a escreve-lo porque me deu frio na barriga.

        Quem nunca teve frio na barriga não é mesmo? Pode ser no primeiro dia de aula, na sua primeira pisada num palco, no seu primeiro encontro. SEMPRE tive frio na barriga em todas essas situações, mas dessa vez tive outra primeira vez. A primeira vez que eu passei no vestibular.

        Na sexta feira a noite quando eu vi a lista dos aprovados do vestibular de inverno de uma universidade particular aqui de Curitiba quase não acreditei. Olhei a lista umas três vezes para confirmar se era mesmo o meu nome que estava lá. Eu jurava que tinha ido mal e estava decepcionada comigo mesma.

      Quando eu vi meu nome lá, minha perna tremia e eu sai correndo contar para os meus pais. Minha mãe coitada, estava dormindo e quase teve um infarto quando eu entrei no quarto gritando ”PASSEI”. Depois de respirar fundo, mas sem que as pernas parassem de tremer, fui ver minha colocação e como os meus amigos tinham se saído. Depois disso, dormi.

         No dia seguinte acordo com várias parabenizações no facebook, mas mesmo assim a ficha ainda não tinha caído e eu já estava mais calma, afinal, eu preciso terminar o terceirão e a minha vaga será ocupada por outra pessoa esse semestre. Mas confesso, fiquei bem mais confiante para passar numa universidade federal agora no final no ano.

         Ontem, uma parte da minha família chegou a falar em trote e eu fiquei pensando ”precisa de tudo isso? Não quero meu cabelo fedendo ovo. Não agora” A noite então foi quando as borboletas apareceram no meu estômago e eu acordei para a vida. Um grupo de veteranos criou um grupo no facebook e estava chamado todos os calouros para entrar e se apresentarem. Entrei, achei todo mundo simpático e pensei ”eu amo a faculdade e eu amo ter escolhido fazer jornalismo, não importa o que as pessoas pensem.”

      Depois de um tempo eu fechei o facebook e comecei a pensar na vida e vi que na verdade eu não era uma caloura, AINDA. Sai do grupo antes que me notassem e pensei de novo ”ano que vem eu volto”. Coloquei os pensamentos em dia e pensei como a vida tem sido boa comigo. Obrigada, vida!Imagem

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s